NOTÍCIAS

MAHINDRA fala sobre visão da indústria ao Plano Safra 2021/2022

Jak Torretta Jr., Diretor Geral das Operações da MAHINDRA no Brasil, divulga nota à imprensa sobre as considerações da indústria de máquinas agrícolas ao Plano Safra 2021/2022.

Acompanhe a seguir na íntegra:

De forma geral o PLANO SAFRA 21/22 superou as expectativas. Serão 251,2 bilhões para custeio e investimento na agropecuária brasileira. O valor reflete um aumento de R$ 14,9 bilhões (6,3%) em relação ao Plano anterior. O Tesouro Nacional destinou R$ 13 bilhões para a equalização de juros, montante que surpreendeu o mercado, pois a resistência da área econômica foi muito grande.

O movimento realizado deixou claro que o governo está reconhecendo a importância do Agro, efetivando um PLANO SAFRA que, pode não ser o que o setor necessitaria, mas chega com importantes ações de apoio a investimentos sustentáveis, principalmente em relação à Agricultura Familiar.

Os financiamentos poderão ser contratados de 1º de julho de 2021 a 30 de junho de 2022.   Do total, R$ 177,78 bilhões serão destinados ao custeio e comercialização e R$ 73,4 bilhões serão para investimentos. Os recursos destinados a investimentos tiveram aumento de 29%. Os PEQUENOS PRODUTORES rurais terão um acréscimo de 19%, onde R$ 39,34 bilhões serão para financiamento pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar – PRONAF, com juros de 3% e 4,5%. Desse valor, R$ 21,74 bilhões serão para custeio e comercialização e R$ R$ 17,6 bilhões para investimentos. E para os MÉDIOS PRODUTORES, no âmbito do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural – PRONAMP foram disponibilizados R$ 34 bilhões, um aumento de 3% em relação à safra passada. Um total de R$ 29,18 bilhões para custeio e comercialização e R$ 4,88 bilhões para investimento, com juros de até 6,5% ao ano.

Cabe salientar que apesar de um volume maior de recursos disponíveis dentro do PRONAF e PRONAMP, o custo das máquinas agrícolas subiu muito mais que 19% em função dos preços exorbitantes dos materiais como o aço, plásticos, vidros. Assim como a escassez de outras matérias primas e componentes, especialmente pneus. Também é preciso estar atento a possíveis momentos de altos e baixos nos preços das principais commodities agrícolas, assim como variações na taxa cambial.
Por isso, certamente teremos menos unidades de máquinas agrícolas financiadas porque o montante previsto para os investimentos no Plano Safra 21/22 terminará ainda mais cedo do que na temporada passada.
Mas mesmo enfrentando mais um ano com problemas de suprimentos, a indústria brasileira vem lutando para atender a demanda e o mercado tem condições de crescer mais do que 30% este ano em relação a 2020.

Para a MAHINDRA, que vai completar CINCO anos de Brasil em outubro de 2021, prevemos um crescimento bem acima da indústria. Nossa rede está crescendo, concentrando forças nas principais regiões do Brasil e os produtores estão validando os atributos da nossa marca. Características como o baixo consumo de combustível, a maior garantia do mercado brasileiro e a força do trator MAHINDRA, estão ganhando a confiança do produtor. Isso mostra que estamos consolidando, cada vez mais, a marca no Agro brasileiro.

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email